quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Freudianas




(com corte)

Stan Funk
"Eu não acredito em explicações superficiais e esotéricas do que eu faço. Eu simplesmente capturo a beleza que eu vejo e procuro expressá-la da maneira como a vejo. Não há significados ocultos. Se alguém procura por um motivo freudiano para explicar minhas imagens, elas perdem a beleza. Eles perdem todo o significado, que é tão simples como zen. O bom de contemplação é a contemplação - não algum resultado que ela possa  trazer". 
http://www.funkart.bc.ca/pages-added/biography.php

2 comentários:

Pedro disse...

Bem interessante o pensamento de Stan!
Bom Nilsa, eu estive em uma maravilhosa palestra sua ano passado aqui em Uberlândia. E à partir desse encontro tive ainda mais vontade de aprender não só a fotografar, mas a história e os devaneios da fotografia como um todo. Tenho visitado seu blog com alguma frequência e gostado muito do que estou vendo. São reflexões e pensamentos muito interessantes. E diante disso, venho pedir a você algumas indicações sobre a história da fotografia, como também filosofia e tudo mais que você puder me passar.

De um admirador de seu trabalho,
Abraços!!

Nilza Prata Bellini disse...

Oi Pedro,
que bom saber que você tem me visitado. Fico muito feliz. Vamos falar mais por e mail. Enquanto isso, estou preparando uma pequena lista com indicações bibliográficas para você.
Meu e mail é nilzabel@gmail.com
Abraços