domingo, 13 de fevereiro de 2011

Cogito tácito










Minor White
http://en.wikipedia.org/wiki/Minor_White


Alguma vez você já leu um diário sincero? Um diário sincero é o mais pérfido dos diários [...] E a longo prazo, que chatice é a sinceridade. Ela é ineficaz. E então? O meu diário precisava ser sincero, mas não podia ser sincero. Como eu poderia resolver o problema? A palavra, a palavra solta, falada, tem essa peculiaridade consoladora: é próxima da sinceridade, não naquilo que admite, mas no que alega ser e no que ela persegue. 
Assim, eu tinha que evitar que meu diário se tornasse uma confissão. Eu tinha de mostrar-me "em ação" , no meu intento de impor-me ao leitor de um certo modo, em meu desejo de criar-me, enquanto todos olhavam. "Assim é que eu gostaria de parecer para vocês" e não "assim é que eu sou". (Gombrowicz, Diário, cit. Sontag, p.137).

Sontag, Susan. Ferddydurke, de Gombrowicz. Questão de ênfase. São Paulo: Cia das Letras. 2001.

2 comentários:

Elfi Kürten disse...

Maravilha, adorei!. bjs

Nilza Prata Bellini disse...

é bonito, mesmo.E verdadeiro.